Sobre a Azoia


Fig 1 - Localização de Azoia no distrito de Leiria

Esta Freguesia está situada a 3 km a sul da Cidade de Leiria e a 5 km a norte da Vilda da Batalha. É atravessada pelas Estradas Nacionais IC2 e EN 356/1.
Assenta num planalto o que faz dela "um lugar lavado de todos os ventos, por cuja causa talvez livre de contágios e sádio.", (citação feita em 1758 pelo Padre João Nogueira).
A sua parte mais elevada é o monte do Facho em Alcogulhe do qual se disfruta uma soberba paisagem.
É ainda atravessada no seu limite a nascente, pelo Rio Lena e a sul Ribeira da Cárzea. Estes cursos de água contribuem para a fertilidade das suas terras. Outrora forneciam a energia hidraúlica para pôr a funcionar engenhos de moinhos e lagares de azeite. Também e citando de novo o Padr João Nogueira "as suas águas criavam boas enguias, barbos e nele se apanhavam algumas lampreias". Lamentavelmente não há hoje, praticamente vida nestes cursos de água. Ao recordar estas memórias, sentimos enormes saudades desse tempo e por essa razão enaltecemos aqui, o esforço que as nove Juntas de Freguesia onde o Lena passa estão neste momento a desenvolver, criando recentemente o "Movimento de Proteção ao Rio Lena".
Da Freguesia fazem parte oito lugares: Azoia, sede de Feguesia, Cabeças e Vale do Horto a Sul, Vale Gracioso e Casal Pombal a Nascente, Codiceira, Quinta dos Frades e Alcogulhe a Poente, todas a pequena distância umas das outras.
A Freguesia foi criada em 1713 na sequência da remodelação da Freguesia de S.Pedro, efetuada por D.Álvaro de Abranches.
O Orago da Paróquia é Santa Catarina, mártir.
A igreja Matriz sofreu avultados prejuízos, com o terramoto de 1 de Novembro de 1755 e com as invasões francesas foi ocupada pelos tropas do general Massena, tendo sido delapidada e servido de cavalariça.

Em 1758, o lugar de Azoia tinha cinqunta fogos aos quais correspondiam cento e setenta habitantes, o lugar de Cabeças tinha doze fogos e quanrente e duas pessoas, o lugar do Vale Gracioso três fogos e quinze pssoas, o lugar do Vale do Horto trinta e oito fogos e cento e vinte sete pessoas, o lugar de Codiceira, vinte e quatro fogos e noventa e oito pessoas, o lugar de Alcogulhe, trinta e dois fogos e cento e oito pessoas. Sobre os lugares de Casal Pobal e Quinta dos Frades não há referências, o que nos leva a pensar que estariam inclu+idos respetivamente no lugares de Azoia e Alcogulhe.
Sobre o lugar de Alcogulhe, e continuando a citar o Padre João Nogueira "neste lugar orna uma Capela ou Ermida, que pela sua grandeza e instrução, pode servir de Paróquia, (entenda-se Igreja Matriz, o que relamente aconteceu aquando das invasões francesas), dedicada ao noisso Santo lusitano Santo António".
Atualmente, e revendo os dados do censosa da duas últimas década verifica-se um ligueiro aumento demográfico.
Nas décadas de sessenta e setenta virficarm-se surtos de emigração, principalmente para países europeus e que muito têm contribuído para o desenvolvimento da Freguesia.
Segundo dados do INE, a população atual residente no conjunro de Freguesias (Parceiros e Azoia) ronda 7500 os habitantes dos quais 6135 estão recenseados como eleitores.
Quanto às atividades económicas, em 1758, voltando a citar a mesma fonte, "São os moradores desta Freguesia abundantes de vinho e milho, que a sua ribeira, chamda de Azoia, produ, ajudada as enchentes das águas do Rio Lena, que a fazem mais fecunda.", a agricultura era assima principal atividade. Analisando a enconomia da Freguesia ter perdido imporntância, principalmente após adesão de Portugal à Comunidade Europeia, tem ainda alguns agrucultores e jovens agrucultores a dedicarem-se a te,po inteiro à atividade agrícola, pelo que ainda assume aguma importância, tanto mais que constitui para muitas pessoas em segunda ocupação.

Azoia está localizado em: Portugal Continental
Azoia
Fig 2 - Localização de Azoia em Portugal Continental

O setor secundário está em crescimento, destacando-se indústrias de plásticos, moldes, metalomecânica, móveis, construção civil.
Algumas industrias apesar de se pretenderem aqui desenvolver tem fugido para outras Freguesias por falta de um zona industrila definida. Está prevista atualmente na revisão atual PDM da Câmara Municipal de Leiria.
O setor teriário é o principal pilar da economia, devido à instalação de estabelecimentos comerciais junto à IC2. dedicados ao comércio de equipamentos, de veículos e máquinas dindustriais.
Apesar da crescente intesificação deste tipo de comércio a população não dispõe de serviços públicos, sendo Leiria a opção para a satisfação destas necessidades.
Segundo dados do INE e pelo que conhecemos o espetro do desemprego não existe, antes pelo contrário, verifica-se falta de mão de obra, compensada pela vina de trabalhadores da Europa de Leste.
Ainda a nível dos serviços privados, a Freguesia tem boa oferta de espaços de restauração de elevada qualidade, destacando-se o Restaurante Casarão, e o turismo rural que se pratica na Quinta da Serrada e na Quinta da Silveiras.
Ainda a nível da Gastronomia há a destacar os vinhos produzidos na Quinta da Sapeira.
A nível das infraestruturas básicas, a Freguesia está dotada praticamente na sua totalidade da rede pública de água ao domícilio, rede elétrica e de telefone.
A necessidade mais urgente, neste domínio da Freguesia é a construção da rede de saneamento básico, cujo projeto está concluído e cujas obras esperamos que se iniciem este ano.
A recolha do lixo doméstico faz-se em toda a Freguesia duas vezs por semana e há também a distribuição de ecopontos para a recolha seletiva de vidro, embalagens e papael.
A nível da educação, a rede escolar da Freguesia é constituída por um estabelecimento do ensino pré-escolar dotado de duas salas e onde funcion o serviço de almoço e prolongamento de horário.

A nível do primeiro ciclo, existem quatro escolas. Os alunos dos restantes escalões de escolaridades tem de se deslocar.
Ao nível da saúde, existe a extensão de saúde de Azoia, faltando uma farmácia.
No domínio do desporto , não existem equipamento desportivos estando em fase projeto, a construção de um polidesportivo.
No obstante esta carência, o desporto pratica-se em recintos desportivos das Freguesias vizinhas.
Quanto ao movimento Associaivo extem seis Associações: Associação Recreativa Coltural e Despotiva do Vale do Horto, Associação Recreativa e Cultural da Codiceira, Club de motos de TNT e Associação de Desportos de Montanha "Pé no Trilho".
Está a ser constituída formalmente a Associação do lugar de Azoia. No âmbito associativo merece particular destaque o Rancho Folclórico Rosas da Primavera do Vale do Horto, inserido na Região de Turismo Leiria/Fátima e inscrito na Federação Portuguesa de Floclore desde 1991.
Tem Participado em atuações de norte a sul do país e a nível internacional, tendo recentemente editado o seu primeiro CD.
A nível do Património e Turismo, foram encontrados alguns vestígios isolados, mas ainda nada foi descoberto de grande valor arqueológico. nível da arquetetura há a salientar a Capela de Alcogulhe, considerada por alguns historiadores como a capela rural mais rica do Concelho de Leiria. Há a referir uma escultura em pedro do séc. XVIII, da padroeira da Freguesia e que ecimava a porta principal d aIgreja Matriz e que foi roubada há cerca de dois anos, desconhecendo-se o seu paradeiro. A nível de sensibilidade religiiosa destacam-se a Cruz de São Tomé e a de São Silvestre.
Em termos paisagísticos o Monte do Facho oferece uma excelente vista panorâmica sobre a cidade de Leiria e estende-se pela Serra de Aire e Candeerios. Realizam-se ao longo do ano Festas e Romarias. A festa em honra da Padroeira da Freguesia ocorre no 2º fim de semana de Agosto com procissão e oferta de andores com bolos. A festa de S.António em Alcogulhe em Julho e a festa de Nossa Sinhora da Saúde do Vale do Horto também em Julho.

Realizam-se também festas profanas, nomeadamente o Fetival Internacional de Folclora em fins de Agosto no Vale do Horto. Festas de Aniversário das Coletividades, Festa de S.António com Fogueira e Tasquinhas e está-se a organizar o primeiro Festival de Gastronomia da Freguesia.
Poeder Autárquico.
A Autarquia local debate-se com a falta de terrenos p´roprios para a construção de insfraestruturas e outras dificuldades nomeadamente a lei das finanças locais que deveria ser alterada. As Freguesias sendo pilares da democracia deviam mercer mais respeito e mais meios do poder central.
As prioridades deste executivo centram-se na construção da rede pública de saneamento básico, na construção de uma casa mortuária e na promoção e divulgação de cultura.
© 2014 União das Freguesias de Parceiros e Azoia | Todos os direitos reservados. | Produzido por Rúben Santos.